terça-feira, 20 de março de 2012

LLC: Teoria Geral

Autor: John Maynard Keynes
Ano Publicação: 1936
Nota: 5




Li esta obra ainda na faculdade de economia e recentemente tive a oportunidade de uma nova leitura. Não se trata de obra para simples leitura visto que existem formulas econômicas a serem, no mínimo, pensadas (ainda que o autor utilize uma metodologia com poucas formulas matemáticas, sendo rico em argumentações). O raciocínio lógico do autor é muito claro o que torna o estudo da obra prazeroso.
Confesso que a primeira leitura não foi agradável visto tratar-se de estudo para provas.

A evolução do pensamento econômico passa necessariamente por John Maynard Keynes. Trata-se de economista britânico que iniciou uma revolução neste pensamento, se opondo a algumas ideias da economia clássica como o não-intervencionismo estatal da economia. Com a A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda Keynes defendeu o Estado intervencionista na economia onde os governos usariam medidas fiscais e monetárias para mitigar efeitos dos ciclos econômicos (recessão, depressão e booms). Suas ideias serviram de base para a escola de pensamento conhecida como Escola Keynesiana. O ponto chave da obra é a questão do emprego que para o autor é determinado não pelos preços do trabalho, mas pelos gastos em dinheiro (demanda agregada).


Cito dois trechos da obra. O primeiro sobre investimento e o segundo sobre os homens de negócio.

"Tomemos o investimento em primeiro lugar. Na linguagem corrente, esta palavra designa a compra de um ativo, velho ou novo, por um indivíduo ou por uma empresa. Por vezes, o alcance do termo é limitado à compra de um ativo na Bolsa de Valores. Mas também falamos, igualmente, de investimentos em imóveis, máquinas, estoques de produtos acabados ou não; e, de maneira geral, novo investimento, por oposição a reinvestimento, significa a compra, por aplicação dos rendimentos, de um bem de capital de qualquer espécie. Se considerarmos a venda de um investimento como um investimento negativo, isto é, como um desinvestimento, minha própria definição está de acordo com a de uso popular, visto que as transações ocorridas nos investimentos antigos forçosamente se anulam. Naturalmente temos de ajustar o caso com vista à criação e à liquidação de débitos (incluindo as variações da quantidade de crédito ou de moeda); mas, embora para a comunidade em seu conjunto o aumento ou a diminuição no saldo do crédito agregado seja sempre exatamente igual ao aumento ou à diminuição do saldo do débito agregado, esta complicação se neutraliza também quando se trata do investimento agregado. Por conseqüência, admitindo-se que a noção popular de renda coincide com a minha de renda líquida, o investimento agregado no sentido corrente corresponde à minha definição de investimento líquido, ou seja, à adição líquida a toda espécie de equipamentos de capital, após dedução das variações no valor dos equipamentos de capital velhos que entram no cálculo da renda líquida."

"Os homens de negócio fazem um jogo que é uma mescla de habilidade e de sorte, cujos resultados médios são desconhecidos pelos jogadores que dele participam. Se a natureza humana não sentisse a tentação de arriscar a sorte, nem de sentir a satisfação (excluindo-se o lucro) de construir uma fábrica, uma estrada de ferro, de explorar uma mina ou uma fazenda, provavelmente não haveria muitos investimentos como mero resultado de cálculos frios.
"

O autor na capa da revista Time.

Como todo o pensamento cientifico os keynesianos não são unanimidade. Que o diga a Escola Austríaca com Henry Hazlitt, Israel Kirzner, Murray Rothbard, e Friedrich Hayek (ganhador do Prêmio Nobel de Economia) que defendem a organização espontânea do mecanismo de preços, ou seja o Liberalismo com a intervenção mínima do estado.

O site EconStories possui alguns vídeos bem humorados com os economistas Keynes e Hayek. O primeiro mostra um duelo de hip hop com alguns contra pontos das teorias de cada economista. O outro, também embalado por hip hop, uma luta de boxe entre ambos. Ao final do duelo, mesmo com a vitoria clara de Hayek, Keynes leva o troféu. Uma clara alusão ao ponto de vista dos governantes uma vez que no pensamento keynesiano os gastos e investimentos públicos servem como incentivo a economia (uma boa desculpa para continuar a fazer mais e mais gastos). Muito legal ver algumas ideias desta forma lúdica. Espero que gostem!






Obs: Ativem a legenda clicando em "CC" acima.

Nenhum comentário:

Se você gostou deste post, pode ser que goste também destes...