quinta-feira, 10 de novembro de 2011

LLC: Água para Elefantes


Autor: Sara Gruen
Ano Publicação: 2007
Nota: 8




Este fim de semana estive no cinema para conferir uma produção nacional. Trata-se de O Palhaço, de Selton Mello, estrelando ele mesmo e Paulo José. Fiquei encantada com o longa, e ao assistir as cenas dos bastidores de um circo, me lembrei de um dos livros que li em 2011: Água para Elefantes.

Assim como
O Palhaço, esta história se passa com um circo como plano de fundo. Mas as similaridades param por aí. Enquanto o primeiro foi escrito para a telona, este último é um romance que tamanho seu sucesso acabou por ser transformado em roteiro para a sétima arte. Ademais, o filme brasileiro foca em um momento intimista do palhaço Pangaré, e o livro americano centraliza a narração no romance entre Jacob Jankowski, o cuidador dos animais, e Marlena, a estrela do Circo Irmãos Benzini.

Vamos à minha experiência com o livro então. Este livro chegou aqui em casa no aniversário do Matheus. Foi um presente de aniversário (aliás, belo presente, não? Adoramos ganhar livros!). Como tive uma semana de pausa no mês seguinte, aproveitei o período de descanço para devorar este romance. Água para Elefantes me cativou por vários motivos. Além de ser um livro que encaixa bem no meu perfil favorito (histórias melódicas e dramáticas), o tema Circo sempre me exerceu um certo fascínio. Talvez seja porque foi o tema do meu primeiro aniversário. Ou ainda porque era o programa favorito do meu vô Balta. Pode ser que seja pelas inúmeras vezes que frequentei um circo, pelo circo dos filmes Saltimbancos e Cavalinho Azul, ou até mesmo por eu também ter lido Tintino quando pequena (e depois adaptado este livro para uma peça de teatro quando grandinha). Mas o fato é que pela primeira vez eu tive a oportunidade de matar a minha curiosidade e ver o que acontece nos bastidores de um espetáculo e como é o dia-a-dia de quem o faz acontecer.

A história se passa logo após a Grande Depressão, no princípio da década de 1930 nos Estados Unidos, e descreve muito bem a rotina de um circo bem diferente do que conhecemos aqui no Brasil: ele é composto de vagões e de uma locomotiva, e se move pelas linhas férreas no país para levar o show a várias cidades. Os Irmãos Benzini conta em sua apresentações com sua trupe e vários animais, dentre eles Rosie, uma elefanta apaixonante.

Susan Gruen inteligentemente escreveu o livro situando-o na atualidade, com Jacob aos 93 anos (ou 90, ele não se lembra bem) e morando numa casa de repouso e rememorando sua juventude no circo. As partes do livro no presente são bem bacanas também, pois a forma como a autora coloca o idoso e sua visão de mundo são tocantes, trazem uma perspectiva interessante e me fez refletir sobre como me relaciono com a terceira idade e em como será a minha própria velhice.

O livro é cativante e seu final surpreendente, tanto no que diz respeito ao fim da narrativa da juventude de Jacob, quanto no próprio fim do Sr. Jacob, o ancião. Gostei tanto de seu texto que optei por não assitir o filme homônimo, que estrela Robert Pattinson e Reese Whiterspoon. Até a escrita deste blog eu ainda não havia visto nem mesmo o trailer deste filme. É
que prefiro ficar com a minha Rosie, o meu Jacob, a minha Marlena, o meu Tio Al. Mas pra saciar a curiosidade de quem ainda não leu o livro, deixo o video como aperitivo àqueles que ficaram com um gostinho de quero ler!




Nenhum comentário:

Se você gostou deste post, pode ser que goste também destes...